Arquivos mensais: abril 2015

Bud Light é acusada de contribuir com a “cultura do estupro”

Bud Light é acusada de contribuir com a "cultura do estupro"

É interessante perceber como as marcas, agências e publicitários mudam, mas alguns escorregões se repetem na propaganda. A cerveja Bud Light, nos Estados Unidos, fez algo bem parecido com a polêmica mensagem de Carnaval da campanha da Skol: “Deixe o não em casa”.

As garrafas da marca americana estavam trazendo uma mensagem em seu rótulo que, segundo uma legião de críticos, pode contribuir com a “cultura do estupro”.

O texto, na tradução livre, é: “A cerveja perfeita para você tirar o ‘não’ do seu vocabulário nesta noite”. A frase está entre mais de 140 outras que foram impressas nas garrafas como parte da campanha “Up For Whatever”.

Segundo a agência, a BBDO Nova York, a ideia é associar o produto com o conceito de diversão espontânea. Depois da enxurrada de críticas, a marca resolveu pedir desculpas pela gafe através de um comunicado assinado pelo VP da empresa, Alexander Lambrecht.

“A campanha ‘Up For Whatever’ recebeu alguns milhões de investimento da Bud Light pelo segundo ano, e tem inspirado jovens consumidores a se envolver com a nossa marca de maneira positiva. Neste espírito, criamos mais de 140 mensagens diferentes destinadas a incentivar a diversão espontânea. É claro que esta mensagem errou o alvo, e nós lamentamos. Nunca iremos perdoar qualquer comportamento desrespeitoso e irresponsável”, afirmou o executivo.

O posicionamento é sempre importante, mas nesse caso não foi o suficiente para impedir que a história ganhasse os noticiários, inclusive uma nota no The New York Times. Resta agora para a marca avaliar o impacto negativo da campanha.

Já para a agência, vale repensar os processos de criação de conteúdo.

Leia mais…

Campanha da Kiss FM ajuda a reciclar músicas ruins

O provocador e bem-humorado líder da banda Kiss, Paul Stanley, não é apenas o embaixador do “Shit Project”, criado pela AlmapBBDO para a rádio Kiss FM, como também participa do filme que divulga a ação.

A ideia é transformar as músicas ruins em adubo.

O “projeto”, que acaba de ser lançado na internet, convida as pessoas a enviar as músicas que consideram ruins para o site www.shitproject.com.

Elas passam por um curioso processo – que inclui o sistema digestivo de uma vaca, e são transformadas em adubos que serão usados no plantio de flores e arbustos em canteiros de São Paulo.

De acordo com a própria rádio, no intuito de transformar o mundo em um lugar melhor a partir de São Paulo, a Kiss decidiu fazer isso de uma maneira bem rock’n’roll.

O envio das músicas deve ser feito pelo hotsite ou no Twitter, por meio da hashtag #recyclekissfm. O processo de purificação e transformação da canção em adubo pode ser acompanhado pelo site.

Quem mandar suas músicas para reciclagem terá um vídeo personalizado e ainda vai contribuir para a revitalização de áreas públicas de São Paulo.

Leia mais…

Powerade promove outdoor que vira ferramenta de esporte

Sem a atividade física, um recompositor hidroeletrolítico perderia sua função. Foi pensando nisso que o Powerade, bebida para hidratação do grupo Coca-Cola, resolveu incentivar as pessoas a praticarem esporte.

Através de outdoors instalados no centro de Berlim, na Alemanha, a marca fez muito mais do que uma simples divulgação visual.

Os painéis publicitários transformavam-se em equipamentos para treino como uma parede de escalada, um saco de boxe e até uma barra de levantamento de peso.

A intenção da campanha criada pela Ogilvy & Mather era fazer com que as pessoas provassem a adrenalina da atividade física no momento em que elas estavam sendo impactadas pela publicidade.

Leia mais…