Arquivos mensais: novembro 2016

Comercial do feijão Heinz é banido por ser “perigoso”

Comercial do feijão Heinz é banido por ser “perigoso”

A Heinz só queria que as pessoas cantassem uma música e batucassem em uma lata vazia de feijão. Mas o plano não deu muito certo.

No Reino Unido, um comercial da marca foi banido depois da avaliação da ASA, o órgão regulador da publicidade no país.

É que, na propaganda, pessoas usam latas vazias de feijões Heinz para cantar uma música, a “Can Song” (“canção da lata”).

Mas a ASA considerou a prática perigosa. Segundo ela, as pessoas, ao imitarem em casa a “Can Song”, poderiam acabar se machucando.

Algum consumidor, ao bater na lata, poderia cortar a mão na aba.

O comercial da Heinz, contudo, traz, logo no início, uma espécie de tutorial que indica para o consumidor lavar a lata e passar uma fita (crepe, isolante etc) nas bordas para tornar a prática segura.

Mesmo assim, a ASA considerou que as instruções eram insuficientes para diminuir o risco.

Na TV, o tutorial não era veiculado. Apenas no YouTube ele consta.

“Considerando que os consumidores encorajados a aprenderem a ‘Can Song’ dificilmente terão as habilidades dos atores”, o comunicado oficial do órgão dizia sobre o porquê da decisão.

O julgamento se deu após algumas reclamações chegarem até a ASA. Seis delas mencionavam que o comercial era perigoso caso as crianças assistissem.

Leia mais…

Projeto “Mamilo Livre” questiona objetificação do corpo feminino

Projeto “Mamilo Livre” questiona objetificação do corpo feminino

A J. Walter Thompson em parceria com AzMina, jornal digital feminista independente, lançou nesta semana o projeto http://www.mamilolivre.com em apoio à Semana Internacional da Não-Violência Contra a Mulher.

A ideia é questionar a objetificação do corpo feminino nas redes sociais e a censura de imagens consideradas de “conteúdo inapropriado”, com ênfase especial em mamilos de mulheres. Mas como falar de peitos femininos na plataforma, se a mera existência deles é censurada

Para quebrar esse tabu, a agência descobriu uma forma simples e criativa de enganar os algoritmos que fazem essa censura usando uma ferramenta do próprio Facebook como meio de protesto.

O objetivo é publicar álbuns com fotos “recortadas” de peitos femininos, onde o mosaico da timeline forma a imagem de um mamilo. Assim, a rede social não “descobre” a publicação e, portanto, não consegue censurá-la.

Tudo isso funciona por meio de um app dentro do website, onde a mulher faz o login e participa. Ela pode publicar uma foto da galeria de mamilos.

Automaticamente, a ferramenta recorta a foto, cria o mosaico e ela pode publicar no seu perfil. A youtuber Jout Jout (Julia Tolezano) já teve mais de 25 mil curtidas, 300 comentários e 1,2 mil compartilhamentos no post que fez ontem de manhã sobre a campanha #mamilolivre.

Leia mais…

Wes Anderson dirige comercial da H&M (e parece um de seus filmes)

Wes Anderson dirige comercial da H&M (e parece um de seus filmes)

Se você é fã dos filmes do diretor americano Wes Anderson, esse comercial vai ajudar a matar a saudade.

Sem lançar um filme desde 2014 (“O Grande Hotel Budapeste”) e planejando o próximo somente para 2018, Anderson dirige a nova campanha de Natal da H&M no Reino Unido, “Come Together”.

E o resultado é a cara de seus filmes: planos simétricos, combinação de cores nos figurinos e nos cenários, uma câmera que passeia horizontalmente por um cenário fixo.

O comercial é estrelado pelo ator Adrien Brody e se passa em um trem, o que faz lembrar muito o filme “Viagem a Darjeeling”, de 2007.

Na história da campanha de quatro minutos, Brody avisa aos passageiros que eles perderão o Natal por conta do tempo ruim, o que causará atrasos na viagem.

Leia  mais…